Busca
Busca pelo site.
Encontre a informação de forma rápida.

 

Referências Bibliográficas

  • ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, Água subterrânea: minimização das conseqüências da seca no Nordeste, coordenação: Dr. Albert Mente, Junho, 2003. p. 4, 5, 33 e 34 - divulgação autorizada.
  • ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, Coletânea de Normas de Gestão Ambiental, Rio de Janeiro, 1997. ISO 14001, p.9 e ISO 14004, p. 13, 14 e 16.
  • Alder, A. et alli, Releases and exposure routes of PPCP’s into the environment: Contamination in European Countries, Poseidon Symposium 2003. p.17.
  • Aquaterra Poços Tubulares e Equipamentos Ltda., Perfil Construtivo Obra 046/01, janeiro de 1987, RT: Marcilio Tavares Nicolau, CREA MG 9877.
  • Bahr, J. et alli, A Review of Aquifer Storage Recovery Techniques, Wisconsin Department of Natural Resources, March 2002. p. 2.
  • Brasil, ANA – Agência Nacional de Águas, Projeto Aqüífero Guarani, 2004, http://www.ana.gov.br/guarani/sistema/descricao.htm, acesso em maio de 2004.
  • Brasil, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Atlas de Saneamento, Rio de Janeiro, 2004. p. 19.
  • Brasil, Ministério da Agricultura, Código de Águas e Leis Subseqüentes,  Departamento Nacional de Produção Mineral, 1958. p. 3 e 17.
  • Brasil, Ministério da Educação, Universidade Federal da Bahia , Escola de Agronomia, Normas para Elaboração da Dissertação, Cruz das Almas, BA, Rev.2001, www.cienciasagrarias.ufba.br/normas, acesso: março de 2004.
  • Brasil, Ministério da Saúde, Portaria No. 518 de 25/03/2004, Padrão de Potabilidade e Norma de Qualidade da Água para Consumo Humano.
  • Brasil, Ministério das Cidades, Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, PMSS/PNUD - Programa de Modernização do Setor Saneamento – PMSS / Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD: Dimensionamento das Necessidades de Investimentos para a Universalização dos Serviços de Abastecimento de Água e de Coleta e Tratamento de Esgotos Sanitários no Brasil, Consórcio JNS /Acquaplan, Brasília, 2003.p. 32 a 42 e 110 a 112.
  • Brasil, Ministério das Cidades, Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental – SNIS: Sistema Nacional de informações sobre Saneamento, versão 2.0. junho, 2004. www.snis.gov.br, acesso em julho de 2004.
  • Braz, V. et al, Integração de resultados bacteriológicos e geofísicos na investigação da contaminação de águas por cemitérios, Anais do XI Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, ABAS, Fortaleza, 2000, p. 2.
  • Brega Fo, D. et al, O Conceito de Reúso da Água, in Mancuso, P.C.S. et al: Reúso de Água, USP/ ABES, Editora Manole, 2003, p. 25.
  • Casarini, D. et alli, Relatório de Estabelecimento de Valores Orientadores para Solos e Águas Subterrâneas no Estado de S.Paulo, CETESB, 2001, p. 49.
  • Chang, H. e Silva, F., Estudo de viabilidade técnico-econômica de abastecimento de água da Região Metropolitana de São Paulo pelo aqüífero Guarani, UNESP – Universidade Estadual Paulista, IGCE – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, LEBAC – Laboratório de Estudos de Bacia, Campus de Rio Claro, Janeiro, 2004.
  • Custodio,E. e Llamas, M., Hidrología Subterránea, Ediciones Omega, 1976, p. 312.
     
    Europe, EEA – European Environment Agency, Sustainable Water Use in Europe, European Topic Centre on Inland Waters (ETC/IW), Copenhagen,  1999. p. 31 e 32.
  • FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations, Issue Paper n. 4: The Irrigation Challenge, IPTRID – International Programme for Technology and Research in Irrigation and Drainage, Rome, September 2003,  p. 5.
  • Feitosa, F., Testes de Bombeamento em Poços Tubulares, ABAS MG, 1997, p. 7.
  • Gaia Movement, One of the world's great environmental problems: water, Switzerland, 2004, www.gaia-movement.org/files/WaterProblem.doc acesso em 23/04/2004.
  • Henkes, S., Política  nacional de recursos hídricos e sistema nacional de gerenciamento de recursos hídricos, Jus Navigandi, Teresina, ano 7, n. 64, abril de 2003.
  • Hidrogesp Hidrogeologia, Sondagens e Perfurações Ltda., Documentos de Obra do Poço C-01, fevereiro de 1999, responsável técnico:  Carlos E. Q. Giampá, CREA SP no 0600330507.
    Hirata, R., Oito perguntas e oito tentativas de respostas sobre a vulnerabilidade à poluição de aqüíferos, I Seminário: protección de acuíferos frente la contaminación: metolodogía, Toluca, México, 2001, p. 5.
  • Hutson,S. et alli, Estimated use of water in the United States In 2000, U.S. Geological Survey, Circular 1268, 2004. p. 6 a 9 e 35.
  • Kreuzinger, N. & Clara, M., Austrian case study: Fate of PPCP’s in the groundwater after infiltration, Institute for Water Quality, Vienna University of Technology, Austria, Poseidon Symposium 2003, p.20.
  • Maciel Jr., P., Zoneamento das Águas, IGAM, RC Editora, Belo Horizonte, 1ª. edição, 2000. p. 15.
  • Manoel Fo., J., Contaminação das Águas Subterrâneas in Hidrogeologia: Conceitos e Aplicações, CPRM/LABHID, 2ª. edição, 2000, p. 109.
  • Minas Gerais, Procuradoria-Geral de Justiça, Ministério Público do Estado, Plano Geral de Atuação, Diretrizes do Meio Ambiente, acessado em outubro de 2004, http://www.mp.mg.gov.br/caoma/ 
  • Oliveira, E., A sombra do etanol, Boletim Informativo da ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, nº 116, julho de 2001. p. 20.
  • Oliveira, F. e Sadala, J., Casos de excepcionalidades hídricas subterrâneas no estado de Minas Gerais, Anais XI Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, ABAS, Fortaleza,  2000, p. 1.
  • Rebouças, A., Água Subterrânea: a Alternativa mais Barata: parte IV,  Boletim Informativo da ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, nº 128, julho 2002. p. 3.
  • Rebouças, A., Gestão Ativa dos Aqüíferos, Trabalho apresentado no Seminário “Águas subterrâneas: insumo básico para o desenvolvimento econômico e social”, ABAS, Rio de Janeiro, novembro de 1999, p. 2.
  • São Paulo, CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental: Relatório de qualidade das águas subterrâneas no Estado de São Paulo 2001 a 2003, São Paulo, 2004. p. 11.
  • Setti, A. et al, Introdução ao gerenciamento de recursos hídricos, 2ª. Ed., ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, Brasília, 2000. p. 40.
  • Silva, C. et alli, Degradação Ambiental do Subsolo Brasileiro, 2004, acesso em 15/8/04, www.clubedeengenharia.org.br/Anais/Trabalho012.doc.
  • Silva, J., et alli, Floresta da Tijuca: Pioneirismo Na Preservação, site acessado em 17/07/2003, http://www.terrabrasil.org.br/SGA/sga2.htm.
  • UN, UNEP – United Nations Environment Programme, Freshwater in Europe: facts, figures and maps, DEWA – Division of Early Warning and Assessment, Office for Europe, 2004. p. 32 e 83.
  • UNESCO – United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, World water resources at the beginning of the 21st century, IHP - International Hydrological Programme, 1998, elaborado por SHI – Russian State Hydrological Institute, cap. 2 - http://www.unesco.org/water/  acessado em 21/07/04.
  • Viveiros, M., Esgoto dobra custo do tratamento da água em SP, Jornal Folha de São Paulo, edição de 25/07/2004, caderno Cotidiano, p. C2.
  • Xavier, J., Editorial, Boletín ALHSUD - Asociación Latinoamericana de Hidrología Subterránea Para El Desarrollo, Año IV ,nº 14. p. 2.
  • Zimbres, E., Guia avançado sobre águas subterrâneas, Faculdade de Geologia, UERJ, www.meioambiente.pro.br/agua/guia.htm, acessado em 21/07/2004.